Nossos “jovens mais velhos” foram à Universidade

No dia 18 de Dezembro de 2002, a área de Psicologia Criminal e do Comportamento Desviante da Universidade Lusófona, no Campo Grande, reuniu idosos do Centro de Convívio da Igreja da Nossa Sra. Da Fé, freguesia de Monte Abraão, e do Centro Social e Paroquial da Casa São José, na Vala do Carregado.

O infinito zelo da nossa área, o ágio dos professores, alunos e futuros psicólogos sobre o envelhecimento transformou uma aula de Psicologia numa verdadeira experiência de como se deve viver diariamente e dos diferentes sabores que pode envolver o prazer de envelhecer.

A utilidade que os idosos têm na nossa sociedade, o abandono (in)consciente sentido por alguns, (não) sonhado por outros, as emoções e afectos, a solidão, testemunhos reais, alguns dissabores, o carinho, lágrimas, porno, sorrisos e sons de notas musicais foram palco durante toda a tarde.

Os nossos idosos tiveram ainda oportunidade de conhecer um pouco o espaço da imensa Universidade deliciando um lanche especialmente preparado para todos.

Esta iniciativa foi saboreada intensamente, vincando cada vez mais a enorme vontade de colocar os nossos “jovens mais velhos” em acção permanente, não só com os netos, mas também em interacção com outros familiares e amigos.

A D. Mariazinha completou neste dia mais um aninho de existência, “(…) foi muito bom, foi um dia que não irei esquecer até ao resto da minha vida” e, levando as mãos à cabeça, reforça “Obrigada, faz-me bem à cabeça!”.

Na inauguração do Centro de Convívio da nossa igreja, a 6 de Janeiro, a D. Isilda, sorridente, comenta que a flor que lhe ofrecêramos simbolicamente ainda não murchara. “Todos os dias lhe corto o pezinho e a flor continua bonita e colorida”.

O facto de a “nossa flor” resistir, 20 dias passados, reforça o nosso vincado objectivo!: Demonstrar que a vida e o envelhecimento podem ser bem sucedidos e coloridos, e que cada pétala poderá contar uma nova trajectória, uma nova emoção, uma nova aprendizagem.

Intervenção Psicossocial

Quotidianamente, a intervenção psicossocial assume-se incontornável e imperativa em todas as sociedades, já que as problemáticas de índole psicológica e social aumentam exponencialmente. Neste contexto, a Junta de Freguesia de Monte Abraão continua a acreditar na importância de apoiar os seus fregueses na melhoria das suas vivências, criando e reforçando diferentes capacidades de resposta para os plúrimos problemas identificados. Deste

modo, encontram-se disponíveis:

Apoio psicológico
Direccionado à população em geral, mediante marcação prévia, na Junta de Freguesia de Monte Abraão. Paralelamente, na Escola Básica do 1º Ciclo, Nº1, é realizado, pela equipa de Psicologia da Junta de Freguesia, composta pela Psicóloga e quatro estagiários, o atendimento, acompanhamento e/ou encaminhamento a nível psicológico de crianças carenciadas da Freguesia.

Apoio jurídico e social
Igualmente disponível à população em geral, mediante marcação prévia, na Junta de Freguesia de Monte Abraão. Têm como principal intuito o atendimento, acompanhamento e/ou encaminhamento de situações de índole jurídico e social de residentes na Freguesia.

(Com)Vivências
Consiste na preocupação da Junta de Freguesia em colmatar lacunas referentes à ocupação de tempos livres de 40 crianças carenciadas da Freguesia, entre os 6 e os 12 anos de idade, motivando-as, simultaneamente, para a prática de estilos de vida saudáveis e benéficos ao seu desenvolvimento, bem como para uma formação escolar e cívica adequada. Tem, ainda, como objectivo auxiliar as famílias destas crianças e conta com o apoio da Associação Olho Vivo.
Decorre numa sala da Escola Básica do 1º Ciclo Nº1 de Queluz, em Monte Abraão e funciona de Segunda a Sexta-feira, das 9h30 às 12h, para as crianças que frequentem o turno de aulas da tarde, e das 14h às 16h30, para as crianças que possuam aulas no turno da manhã.

Ciberespaço Jovem
Fruto de uma parceria da Junta de Freguesia de Monte Abraão com o Programa Escolhas e com a Associação Olho Vivo, este espaço tem como principal objectivo o desenvolvimento de actividades pedagógicas, lúdicas e formativas, com acesso às novas tecnologias. Foi concebido para jovens com comportamentos de risco, com idades compreendidas entre os 12 e os 20 anos, e conta actualmente com 300 inscrições.
Situado no Bairro 1º de Maio, encontra-se aberto, diariamente de 2ª a 6ª feira, das 14 às 19 horas para a dinamização de diversas actividades, e nas manhãs de 3ª, 5ª e Sábados para apoio escolar.

Gabinete de Atendimento ao Idoso
Terá início em Fevereiro. traduzindo-se num projecto inovador em todo o Concelho de Sintra, cujo principal objectivo incidirá no atendimento psicológico, social e jurídico específico para reformados e/ou idosos. Paralelamente, privilegiará a dinamização de diversas actividades e iniciativas passíveis de contribuir para o aumento do bem-estar bio-psico-social, potencializando a ocupação.

Relações Intergeracionais
Alia a experiência de vida dos idosos à alegria e vivacidade das crianças, contribuindo para a melhoria das relações interpessoais. Nasceu com o contributo dos idosos do Centro de Convívio da Paróquia Nossa Sra. da Fé e de um grupo de crianças da Escola Básica, do 1º ciclo, nº1 de Queluz, localizando-se ambas as instituições na Freguesia de Monte Abraão.

Parcerias e Grupos de Trabalho
Porque acreditamos que unindo sinergias conseguiremos alcançar soluções coesas e profícuas para os problemas identificados, a Junta de Freguesia de Monte Abraão é parceira na Rede Social, que consiste num projecto dinamizado pela Câmara Municipal de Sintra com o intuito de identificar e solucionar as necessidades da Freguesia, e consequentemente no Grupo Infância da Rede Social. O projecto Jornadas de Família, da Santa Casa da Misericórdia de Sintra, que visa a prevenção da toxicodependência, conta igualmente com a colaboração da Junta de Freguesia.
A Junta de Freguesia participa, ainda,

Grupo de Saúde Escolar e no Grupo de Cuidados Continuados, organizados pelo Centro de Saúde de Queluz, contribuindo activamente para a resolução de situações problemáticas, designadamente no que diz respeito a saúde física e psíquica das crianças da freguesia, e aos cuidados necessários a idosos e dependentes.