Nossos “jovens mais velhos” foram à Universidade

No dia 18 de Dezembro de 2002, a área de Psicologia Criminal e do Comportamento Desviante da Universidade Lusófona, no Campo Grande, reuniu idosos do Centro de Convívio da Igreja da Nossa Sra. Da Fé, freguesia de Monte Abraão, e do Centro Social e Paroquial da Casa São José, na Vala do Carregado.

O infinito zelo da nossa área, o ágio dos professores, alunos e futuros psicólogos sobre o envelhecimento transformou uma aula de Psicologia numa verdadeira experiência de como se deve viver diariamente e dos diferentes sabores que pode envolver o prazer de envelhecer.

A utilidade que os idosos têm na nossa sociedade, o abandono (in)consciente sentido por alguns, (não) sonhado por outros, as emoções e afectos, a solidão, testemunhos reais, alguns dissabores, o carinho, lágrimas, porno, sorrisos e sons de notas musicais foram palco durante toda a tarde.

Os nossos idosos tiveram ainda oportunidade de conhecer um pouco o espaço da imensa Universidade deliciando um lanche especialmente preparado para todos.

Esta iniciativa foi saboreada intensamente, vincando cada vez mais a enorme vontade de colocar os nossos “jovens mais velhos” em acção permanente, não só com os netos, mas também em interacção com outros familiares e amigos.

A D. Mariazinha completou neste dia mais um aninho de existência, “(…) foi muito bom, foi um dia que não irei esquecer até ao resto da minha vida” e, levando as mãos à cabeça, reforça “Obrigada, faz-me bem à cabeça!”.

Na inauguração do Centro de Convívio da nossa igreja, a 6 de Janeiro, a D. Isilda, sorridente, comenta que a flor que lhe ofrecêramos simbolicamente ainda não murchara. “Todos os dias lhe corto o pezinho e a flor continua bonita e colorida”.

O facto de a “nossa flor” resistir, 20 dias passados, reforça o nosso vincado objectivo!: Demonstrar que a vida e o envelhecimento podem ser bem sucedidos e coloridos, e que cada pétala poderá contar uma nova trajectória, uma nova emoção, uma nova aprendizagem.